Oficinas artísticas do SARAD contribuem para o recomeço de muitas vidas

Arte. Pequena palavra que pode ser entendida como uma habilidade dirigida para a execução de uma tarefa ou um conjunto de técnicas para a produção de objetos. Porém, no Serviço de Atenção e Referência em Álcool e Drogas (SARAD), essas quatro letras representam mais do que explicações teóricas: significam o recomeço na vida de muitas pessoas. Há cerca de dois anos, os pacientes da unidade vinculada ao Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB) participam, semanalmente, de oficinas artísticas voltadas à marcenaria, à pintura, à escrita e à confecção artesanal de enfeites e objetos de decoração. As oficinas são acompanhadas pelas Enfermeiras Mariana Vulcano Neres e Patrícia Cristina Oliveira de Moraes e pela Técnica de Enfermagem Margareth Mendes Dantas que, além de realizarem o que a pioneira da Enfermagem moderna Florence Nightingale aponta como “a mais bela das artes”, investem parte de sua rotina também para aperfeiçoar as habilidades dos pacientes, em prol da

Exposição “Em Volta do Tempo” segue até 31 de janeiro na Pinacoteca, em Botucatu

Exposição “Em Volta do Tempo” segue até 31 de janeiro na Pinacoteca, em Botucatu


As telas da artista plástica paulista Renata Egreja seguem expostas na Pinacoteca “Fórum das Artes”, em Botucatu, até o dia 31 de janeiro, com entrada gratuita.

A exposição “Em volta do tempo”, é resultado do Prêmio de Artes Visuais do ProAC LAB 2020, incentivado pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e Ministério da Cultura do Governo Federal. Na cidade de Botucatu ela recebe o apoio das secretarias de Cultura e Educação, em parceria com o Museu Botucatu. 

A mostra mescla trabalhos inéditos de Egreja, apresentando 5 telas grandes sobre tela e 10 aquarelas, além da instalação imersiva “Mesa Posta” (2021), que convida o espectador a mergulhar na obra e observá-la desta perspectiva, com cores e formas sugerindo sons e movimento, propondo um estado de encantamento.

A exposição, que ocupa duas salas e o átrio da Pinacoteca, faz parte de um projeto que remete a experiência de retorno à terra natal. Lugar em que a artista cresceu e agora regressa com um olhar diferenciado. “Cresci em uma fazenda no meio rural de Ipaussu, uma pequena cidade no interior de São Paulo onde meus pais eram agricultores. Cursei artes visuais na FAAP, em São Paulo e mestrado na Ecole de Beaux Arts, em Paris. Me tornei mãe e doula e como artista resolvi voltar ao meu ambiente natal, morando na mesma casa onde vivi com minha família, conciliando as atividades rurais, com a maternidade e a vida artística”, explica Egreja, que ganhou o Prêmio Itamaraty de arte Contemporânea em 2012, fez residência artística na Sanskrit Foudation, em Nova Delhi e já expôs em instituições renomadas, como o Instituto Tomie Ohtake.

Para a curadora da exposição Célia Barros, as pinturas e desenhos de Renata Egreja propõem uma investigação sobre a mudança de ritmo, as nuances da paisagem rural, os tons do entardecer e a luminosidade do interior paulista, numa linguagem solta e alegre, já característica da sua trajetória. “Inspirada por grandes mestres da pintura como Beatriz Milhazes, Tarsila do Amaral e Leda Catunda, a pesquisa pictórica de Renata é marcada por uma gestualidade espontânea combinada com um estudo aguçado da composição onde fortes contrastes e transparências de cor sugerem um movimento lúdico”, explica.

A exposição “Em Volta do Tempo” tem produção da “Madri Comunicação e Assessoria” e está aberta para visitação de quarta a sexta-feira, das 9h às 17h, até o dia 31 de janeiro.

Comentários