Oficinas artísticas do SARAD contribuem para o recomeço de muitas vidas

Arte. Pequena palavra que pode ser entendida como uma habilidade dirigida para a execução de uma tarefa ou um conjunto de técnicas para a produção de objetos. Porém, no Serviço de Atenção e Referência em Álcool e Drogas (SARAD), essas quatro letras representam mais do que explicações teóricas: significam o recomeço na vida de muitas pessoas. Há cerca de dois anos, os pacientes da unidade vinculada ao Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB) participam, semanalmente, de oficinas artísticas voltadas à marcenaria, à pintura, à escrita e à confecção artesanal de enfeites e objetos de decoração. As oficinas são acompanhadas pelas Enfermeiras Mariana Vulcano Neres e Patrícia Cristina Oliveira de Moraes e pela Técnica de Enfermagem Margareth Mendes Dantas que, além de realizarem o que a pioneira da Enfermagem moderna Florence Nightingale aponta como “a mais bela das artes”, investem parte de sua rotina também para aperfeiçoar as habilidades dos pacientes, em prol da

Tamanduá é solto em seu habitat após ser capturado em um chiqueiro de Lençóis Paulista

Tamanduá é solto em seu habitat após ser capturado em um chiqueiro de Lençóis Paulista


Um tamanduá bandeira foi resgatado de um chiqueiro e liberado em seu habitat natural na tarde de quarta-feira (29), por uma equipe do Corpo de Bombeiros de Lençóis Paulista. 

Após ser resgatado do chiqueiro, na quinta-feira 23 de dezembro, o animal silvestre foi encaminhado ao CEMPAS (Centro de Medicina e Pesquisas em Animais Selvagens), da Unesp de Botucatu, onde passou por avaliação física, Além da coleta de exames de hemograma / bioquímico, raio x.

A avaliação não evidenciou qualquer alteração na saúde do tamanduá, apontando que estaria apto para reintrodução à natureza. 

O Tamanduá foi solto na tarde de quarta-feira em seu habitat natural pelo CEMPAS com apoio do Grupo de Proteção Ambiental da GCM.

Comentários