Oficinas artísticas do SARAD contribuem para o recomeço de muitas vidas

Arte. Pequena palavra que pode ser entendida como uma habilidade dirigida para a execução de uma tarefa ou um conjunto de técnicas para a produção de objetos. Porém, no Serviço de Atenção e Referência em Álcool e Drogas (SARAD), essas quatro letras representam mais do que explicações teóricas: significam o recomeço na vida de muitas pessoas. Há cerca de dois anos, os pacientes da unidade vinculada ao Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB) participam, semanalmente, de oficinas artísticas voltadas à marcenaria, à pintura, à escrita e à confecção artesanal de enfeites e objetos de decoração. As oficinas são acompanhadas pelas Enfermeiras Mariana Vulcano Neres e Patrícia Cristina Oliveira de Moraes e pela Técnica de Enfermagem Margareth Mendes Dantas que, além de realizarem o que a pioneira da Enfermagem moderna Florence Nightingale aponta como “a mais bela das artes”, investem parte de sua rotina também para aperfeiçoar as habilidades dos pacientes, em prol da

"Levei tapa na bunda", diz ex-repórter da Globo ao revelar assédio

"Levei tapa na bunda", diz ex-repórter da Globo ao revelar assédio


Um dos grandes nomes da cobertura da Fórmula 1, na Band, a repórter Mariana Becker revelou ter sofrido alguns casos de assédio sexual ao longo de sua carreira. Em entrevista ao "Splash Vê TV", a ex-funcionária da TV Globo disse ter levado um tapa na bunda durante uma cobertura de um Mundial de Surfe, na África do Sul, no fim da década de 90.

"Teve uma vez que um diretor de uma grande marca estava conversando comigo, tomando um café. Subimos em um palanque para ver as ondas no mar e ele me deu um tapa na bunda. Era uma época que a ideia de assédio sexual no trabalho não era debatida", disse a jornalista.

"Anos depois eu encontrei em um restaurante um fotógrafo que eu sempre falava. Ao se despedir, ele me deu um tapa na bunda. Eu perguntei se ele estava louco e ele me questionou se eu estava brava (...) tive que impor limites", contou Mariana, revelando mais um caso de assédio.

Após 27 anos, Mariana Becker deixou a TV Globo no início de 2021 depois de a emissora perder os direitos de transmissão da Fórmula 1. Em fevereiro, foi anunciada pela Band, canal que atualmente exibe as corridas da categoria.

Fonte - Esporte IG

Comentários