Oficinas artísticas do SARAD contribuem para o recomeço de muitas vidas

Arte. Pequena palavra que pode ser entendida como uma habilidade dirigida para a execução de uma tarefa ou um conjunto de técnicas para a produção de objetos. Porém, no Serviço de Atenção e Referência em Álcool e Drogas (SARAD), essas quatro letras representam mais do que explicações teóricas: significam o recomeço na vida de muitas pessoas. Há cerca de dois anos, os pacientes da unidade vinculada ao Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB) participam, semanalmente, de oficinas artísticas voltadas à marcenaria, à pintura, à escrita e à confecção artesanal de enfeites e objetos de decoração. As oficinas são acompanhadas pelas Enfermeiras Mariana Vulcano Neres e Patrícia Cristina Oliveira de Moraes e pela Técnica de Enfermagem Margareth Mendes Dantas que, além de realizarem o que a pioneira da Enfermagem moderna Florence Nightingale aponta como “a mais bela das artes”, investem parte de sua rotina também para aperfeiçoar as habilidades dos pacientes, em prol da

Região do Cachoeirinha ganha pomar urbano

Região do Cachoeirinha ganha pomar urbano

Quem não gostaria de ter um pomar ao lado de sua casa com mais de vinte tipos de frutas diferentes e tudo isso de graça?

A Prefeitura de Botucatu, através da Zeladoria Municipal , plantou na manhã desta terça-feira, 101 mudas de árvores frutíferas, em uma área verde de quase mil metros quadrados, ao lado do Residencial Cachoeirinha 4.

“Muitas destas mudas em menos de um ano já estarão dando frutos e sombra e irão beneficiar muitas famílias, que nos finais de semana poderão usufruir de um local de lazer. A manutenção e rega será feita pelos funcionários da Zeladoria, mas todos os moradores também podem colaborar cuidando do pomar”, afirmou Marcio Piedade Vieira, da Zeladoria Municipal.

A maior parte das mudas é de frutas nativas, como manga, abacate, goiaba, jabuticaba, carambola, cereja, pitanga e jaca, bem como outras frutas como grumixamo, araçá amarelo, araçá boi, tamarindo, nêspera e graviola.

Comentários