Pinacoteca recebe exposição “Em Volta do Tempo”, de Renata Egreja, em outubro

As telas da artista plástica paulista Renata Egreja serão a atração da programação da Pinacoteca “Fórum das Artes”, de Botucatu, a partir do dia 10 de outubro. A exposição “Em volta do tempo”, é resultado do Prêmio de Artes Visuais do ProAC LAB 2020, incentivado pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e Ministério da Cultura do Governo Federal.  Na cidade de Botucatu ela recebe o apoio das secretarias de Cultura e Educação, em parceria com o Museu Botucatu. A mostra mescla trabalhos inéditos de Egreja, apresentando 5 telas grandes sobre tela e 10 aquarelas, além da instalação imersiva “Mesa Posta” (2021), que convida o espectador a mergulhar na obra e observá-la desta perspectiva, com cores e formas sugerindo sons e movimento, propondo um estado de encantamento. A exposição, que ocupará duas salas e o átrio da Pinacoteca, faz parte de um projeto que remete a experiência de retorno à terra natal. Lugar em que a artista cresceu e agora regressa com um olhar

Brasileiros são premiados em competição de robôs gigantes

Brasileiros são premiados em competição de robôs gigantes


O Brasil marcou presença, pois competidores brasileiros foram premiados em competição de robôs gigantes e, com isso, mais uma vez, brilhou! A premiação foi na competição regional da América Latina da FIRST Robotics Competition (FRC), temporada 2020/2021, realizada na última terça-feira (11) por transmissão ao vivo no canal da FIRST in Florida.

Cinco equipes brasileiras foram contempladas na premiação, sendo três de escolas do Serviço Social da Indústria (SESI)/Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) e duas de instituições de ensino do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina.

Seguem para a competição global, em junho, os vencedores regionais das seguintes categorias: a estudante Vanessa Mendes Vieira da Silva, da SESI/SENAI Nióbio 7566, premiada na Dean’s List; o mentor Bruno Nunes Toso e a sua equipe Under Control 1156, que venceram o Woodie Flowers e o Chairman’s. Eles deverão passar por mais uma rodada de apresentações aos juízes do mundial, na primeira quinzena de junho, e o resultado será divulgado no dia 26.

“Fiquei muito feliz. Nossa equipe tem 16 integrantes e quatro mentores, que indicaram a mim e a outro colega [para a categoria]. Tivemos entrevistas em março por videochamada, fiquei bem nervosa. O time escreveu redação para os finalistas, na hora do anúncio, até escaparam umas lágrimas”, confessa Vanessa, 17 anos, que até o 9º ano estudou em escola pública.


Em 2019, quando entrou no SESI de Campinas para fazer o ensino médio integrado com o curso técnico de programação no SENAI, ela teve o primeiro contato com os robôs.

“Foi um choque, porque não conhecia nada de robótica. Em março fizeram um tour no fab lab, e eu falei ‘quero ser parte disso’. No primeiro ano, não era titular da equipe, mas aí depois consegui. E, mesmo não podendo viajar, a gente teve contato com juízes de fora pela internet. Mudou a minha percepção das coisas, amadureci”, acredita.

Categoria projeto de inovação tem três semifinalistas SESI

Além do Dean’s List, do Woodie Flowers e Chairman’s, as três equipes do SESI/SENAI se classificaram como uma das 120 semifinalistas entre 882 times do mundo todo da FIRST Innovation Challenge, novidade desta temporada. Os estudantes identificam um problema global e desenvolvem uma solução inovadora, com projeto e protótipo. Nesta terça-feira (18), a Megazord comemorou a classificação para a final, que terá 20 equipes.

A Nióbio levou ainda a Skills Competition, que, neste formato on-line, substituiu a partida em quadra. Participaram 1.302 equipes de diferentes países, divididas em 52 grupos. Os robôs completaram missões pré-estabelecidas pela organização e eles enviaram os vídeos para avaliação.

Única representante da América Latina e do Caribe na lista dos 52 campeões, ela venceu no seu grupo, Manganese, que contava com competidores do México, Singapura, Turquia, Israel e Estados Unidos. Os times são patrocinados por grandes empresas, como General Motors, Apple, Xerox, GE Energy, Toyota, que acabam utilizando o torneio para identificar talentos.

Comentários