Mulheres indígenas chegam na reta final da caminhada de 2.000 km pela Argentina

Mulheres indígenas chegam na reta final da caminhada de 2.000 km pela Argentina, isso é importante pois grupos de mulheres indígenas do país empreendem uma caminhada desde o dia 14 de março em direção à cidade de Buenos Aires. Elas chegarão no dia 22 de maio na capital federal, dia da plurinacionalidade dos territórios. Para o bloco sul, a caminhada total será de cerca de 1.900km, e, para o bloco norte, 1.200km, segundo estimativas recentes das ativistas. Também partiram grupos do leste e oeste do país, reunindo mulheres de diferentes nações indígenas. "Caminhamos para propor que o terricídio seja considerado um crime de lesa humanidade e lesa natureza", afirmam, em comunicado. "Sabemos que não é o melhor momento para sair dos territórios. No entanto, se ficamos em casa, continuam nos matando." O conceito de terricídio foi criado pelo movimento de mulheres indígenas para englobar as diversas formas de assassinato das formas de vida. Trata-se de feminicídio, ecocídio

Alunos do Sesi de Bauru e Barra Bonita vencem torneio de robótica no Rio de Janeiro




Os alunos das escolas Sesi de Bauru e Barra Bonita se destacaram no Torneio SESI de Robótica First Lego League, a  equipes X-Force (Bauru) e a Biotech (Barra Bonita), conquistaram o 1º lugar em "Programação de Robô" e o título de "Solução Inovadora", respectivamente. Com o resultado as equipes conquistaram vagas para o Aberto do Uruguai, que será realizado em junho.

O torneio Sesi de robótica, aconteceu nos dias 15 e 17 de março, no Rio de Janeiro. “Ganhar nessas categorias demonstra que a gente faz a lição de casa”, disse o gerente executivo de Educação da rede escolar Sesi São Paulo, Roberto Xavier Augusto Filho.

“Cada etapa é feita com muita excelência. Nas escolas, no dia a dia, em todo o processo para que esses alunos estejam numa competição como essa. Por isso vencemos!”, celebrou.

Projetos tratam de proteção a raios solares e alimentação no espaço

A equipe "Biotech", vencedora do prêmio "Solução Inovadora", se posiciona na classificação geral, no 4º lugar do Torneio Sesi de Robótica 2019.

O projeto identifica que a radiação cósmica afeta astronautas, podendo ocasionar câncer e mutações genéticas e criaram
o SUNLIFE, um bloqueador físico à base de Óxido de Grafeno, que reflete 99% da radiação solar. O time, também conquistou o 2º Lugar na modalidade  Trabalho em Equipe, no Open Internacional (Tallin, Estônia).


Já a "X-Force", de Bauru, venceu por melhor "Programação de Robô". Na classificação geral, se posicionando em 5º lugar no torneio.


O grupo desenvolveu pesquisas sobre a alimentação no espaço, pensando em oferecer alimento de fácil aceitação, maior durabilidade e maiores valores nutricionais e
criaram, a Torten, uma tortilha enriquecida com 60% de farinha de semente de abóbora, e que fornece todos os nutrientes necessários à saúde do astronauta. Foi a 1ª vez da equipe no campeonato nacional - Torneio SESI de Robótica.
As vitórias renderam aos times classificação para o Aberto do Uruguai, que será realizado de 30 de maio a 1 de junho.

O que é o Festival SESI de Robótica 2019


Mais de 1.200 jovens, de 9 a 18 anos, divididos em 117 equipes, participaram de três competições neste fim de semana (15 a 17), no Rio de Janeiro: os torneios SESI de Robótica First Lego League, First Tech Challenge e F1 nas Escolas.

O tema da temporada 2018/2019, "Em Órbita", desafiou os estudantes a pesquisar sobre questões relacionadas a viver e viajar no espaço.

Com isso, eles tiveram de identificar e propor uma solução inovadora para um problema físico ou social enfrentado durante as viagens de exploração espacial.


Na arena, os
robôs feitos pelos próprios alunos com peças de LEGO ainda tiveram de cumprir missões como se locomover em áreas com crateras, ajudar um astronauta a voltar em segurança para a base espacial e mover satélites para a órbita.

A First Lego League, torneio que os alunos do Sesi-SP sagraram-se campeões, foi criado em 1998 pela
First, uma organização não governamental, em parceria com o Grupo Lego. O Sesi é a instituição responsável pela organização do torneio (etapas regionais e nacional) no Brasil desde 2013.

Trata-se de um programa internacional de exploração científica, que promove o ensino de Ciência, Tecnologia, Engenharia, Artes e Matemática no ambiente escolar e que contribui para o desenvolvimento de competências e habilidades comportamentais para a vida.



Conheça melhor o projeto



Comentários