Traficantes são presos no Santa Elisa no portão da boca de fumo

Uma dupla de traficantes foi presa na noite de ontem, no portão da boca de fumo do Santa Elisa, com maconha, crack, cocaína e dinheiro. A captura dos marginais foi feita por Policiais da Força Tática da Polícia Militar, que avistaram os dois suspeitos ao longe e perceberam que um deles ao avistar a viatura correu para o fundo do imóvel. Enquanto um dos policiais abordava um dos indivíduos no portão, o outro agente da lei conseguiu identificar que o segundo suspeito jogou uma sacola no próprio quintal. Ao verificar o que havia na sacola, os policiais não ficaram surpresos ao constatar que trata-se de 66 porções de crack prontas para a venda. Na busca pessoal os agentes encontraram com um dos traficantes mais 5 porções de crack, 3 porções de maconha, uma porção de cocaína, além de R$ 222 em dinheiro.  A dupla recebeu voz de prisão e foram conduzidos ao Plantão Policial onde foi confeccionado um Boletim de Ocorrência (B.O)  como tráfico de drogas. A dupla agora está presa à disposição

O ser misterioso que alimentamos

Somos os criadores da criatura que nos tornamos, alimentamos esse ser misterioso, escondido nas entranhas de nossa alma, em um local tão distante que o olhar contra o espelho não traz o reconhecimento desse ser interior.

Seus segredos estão escondidos em nossa mais pura e sincera verdade, assustadora como todos os medos da infância. São pequenos flashs, breves lembranças dores que nos atormentam e voltam à tona em momentos de fuga interior.


Lá no fundo sabemos tudo sobre nós mesmos e isso é assustador.

Parece que foi ontem. E foi mesmo ontem, a aurora de minha vida.

Época de cultura miojo e canções nas vozes de ídolos loucos. Nas letras dos autores desvairados.
Padrinhos de uma geração sem regras claras, pós ditadura, sem poesia e sem esteira; apenas indecisões. Perdidos na democracia do sistema.

Relações breves, vidas vazias, corações apertados enfim dilemas da pouca experiência.

Liberdade à prova, e aprisionada nas grades da puberdade. Éramos exuberante e excitante.
Experiências regadas deturpando as convenções e quebrando as barreiras da realidade.

Em fuga, rumo ao desconhecido olhares que não se encontram, em um mundo de hormônios em uma terra desconhecida e no semblante penetrante da arte contra a vida levantando a questão. Ser, ou não ser?


Paz não existe é um sentimento dependente de verdade, pois toda o período de mansidão precedeu a guerra

Comentários