Traficantes são presos no Santa Elisa no portão da boca de fumo

Uma dupla de traficantes foi presa na noite de ontem, no portão da boca de fumo do Santa Elisa, com maconha, crack, cocaína e dinheiro. A captura dos marginais foi feita por Policiais da Força Tática da Polícia Militar, que avistaram os dois suspeitos ao longe e perceberam que um deles ao avistar a viatura correu para o fundo do imóvel. Enquanto um dos policiais abordava um dos indivíduos no portão, o outro agente da lei conseguiu identificar que o segundo suspeito jogou uma sacola no próprio quintal. Ao verificar o que havia na sacola, os policiais não ficaram surpresos ao constatar que trata-se de 66 porções de crack prontas para a venda. Na busca pessoal os agentes encontraram com um dos traficantes mais 5 porções de crack, 3 porções de maconha, uma porção de cocaína, além de R$ 222 em dinheiro.  A dupla recebeu voz de prisão e foram conduzidos ao Plantão Policial onde foi confeccionado um Boletim de Ocorrência (B.O)  como tráfico de drogas. A dupla agora está presa à disposição

O que é Natal além de uma festa familiar alimentada por crianças

Sempre tive o Natal como época de presentes, a história do nascimento de Cristo já estava sufocada pelo capitalismo em minha infância nos anos 80. Em minha árvore brotavam video-games, bicicletas e robôs futuristas.

Não percebia que por trás da desculpa do nascimento de Cristo e da noite de presentes existia algo mágico, a confraternização familiar. Os parentes vinham de longe se encontrar ao redor de uma mesa e os motivos do encontro pouco importava, cabia a cada um dar o seu significado, e aí morava a magia.

A magia do reencontro, de reafirmar antigas alianças, contar piada, se embriagar e dormir feliz, com a barriga cheia e já preparado para o almoço do dia seguinte, o almoço de Natal, no dia 25. Com meus avôs geralmente o almoço era um belo churrasco.


O tempo passa e chega um momento em que sua família são seus filhos, e no meu caso três pré-adolescentes, que já não acreditam em Papai Noel, e questionam até existência de Cristo.

Mas os encontros ainda acontecem, agora deixei a casa dos avôs, e o encontro e na casa de minha querida sogra, e o interessante e ver como a tradição modifica com as gerações.

Minha ceia aconteceu às 21 horas, e foi muito legal, a a cada ano é mais legal, porém parecem que o público vai reduzindo, a magia vai acabando, as crianças crescendo, e a nossa infância interior, se ofusca diante de tanta responsabilidade. Mas o que percebo é que as famílias se fecham em seus núcleos, e logo o Natal será em casa, com meus filhos seus namorados e namoradas.

A tradição vai encolhendo, mas o interessante é que nunca acaba e o símbolo máximo do capitalismo, o Papai Noel, acaba incentivando a reunião dessa gente toda, e principalmente das crianças, são elas que alimentam essa magia. A nossa idade vai chegando e magia se apagando, mas as crianças garantem que a magia nunca se acabe.

A religião pouco importa, suas crenças valem muito pouco diante dos olhares verdadeiros de uma criança que acabou de receber seu presente do Papai Noel.

Feliz Natal a todos e que essa chama não se acabe.




Comentários