Mulheres indígenas chegam na reta final da caminhada de 2.000 km pela Argentina

Mulheres indígenas chegam na reta final da caminhada de 2.000 km pela Argentina, isso é importante pois grupos de mulheres indígenas do país empreendem uma caminhada desde o dia 14 de março em direção à cidade de Buenos Aires. Elas chegarão no dia 22 de maio na capital federal, dia da plurinacionalidade dos territórios. Para o bloco sul, a caminhada total será de cerca de 1.900km, e, para o bloco norte, 1.200km, segundo estimativas recentes das ativistas. Também partiram grupos do leste e oeste do país, reunindo mulheres de diferentes nações indígenas. "Caminhamos para propor que o terricídio seja considerado um crime de lesa humanidade e lesa natureza", afirmam, em comunicado. "Sabemos que não é o melhor momento para sair dos territórios. No entanto, se ficamos em casa, continuam nos matando." O conceito de terricídio foi criado pelo movimento de mulheres indígenas para englobar as diversas formas de assassinato das formas de vida. Trata-se de feminicídio, ecocídio

O que é Natal além de uma festa familiar alimentada por crianças

Sempre tive o Natal como época de presentes, a história do nascimento de Cristo já estava sufocada pelo capitalismo em minha infância nos anos 80. Em minha árvore brotavam video-games, bicicletas e robôs futuristas.

Não percebia que por trás da desculpa do nascimento de Cristo e da noite de presentes existia algo mágico, a confraternização familiar. Os parentes vinham de longe se encontrar ao redor de uma mesa e os motivos do encontro pouco importava, cabia a cada um dar o seu significado, e aí morava a magia.

A magia do reencontro, de reafirmar antigas alianças, contar piada, se embriagar e dormir feliz, com a barriga cheia e já preparado para o almoço do dia seguinte, o almoço de Natal, no dia 25. Com meus avôs geralmente o almoço era um belo churrasco.


O tempo passa e chega um momento em que sua família são seus filhos, e no meu caso três pré-adolescentes, que já não acreditam em Papai Noel, e questionam até existência de Cristo.

Mas os encontros ainda acontecem, agora deixei a casa dos avôs, e o encontro e na casa de minha querida sogra, e o interessante e ver como a tradição modifica com as gerações.

Minha ceia aconteceu às 21 horas, e foi muito legal, a a cada ano é mais legal, porém parecem que o público vai reduzindo, a magia vai acabando, as crianças crescendo, e a nossa infância interior, se ofusca diante de tanta responsabilidade. Mas o que percebo é que as famílias se fecham em seus núcleos, e logo o Natal será em casa, com meus filhos seus namorados e namoradas.

A tradição vai encolhendo, mas o interessante é que nunca acaba e o símbolo máximo do capitalismo, o Papai Noel, acaba incentivando a reunião dessa gente toda, e principalmente das crianças, são elas que alimentam essa magia. A nossa idade vai chegando e magia se apagando, mas as crianças garantem que a magia nunca se acabe.

A religião pouco importa, suas crenças valem muito pouco diante dos olhares verdadeiros de uma criança que acabou de receber seu presente do Papai Noel.

Feliz Natal a todos e que essa chama não se acabe.




Comentários