Oficinas artísticas do SARAD contribuem para o recomeço de muitas vidas

Arte. Pequena palavra que pode ser entendida como uma habilidade dirigida para a execução de uma tarefa ou um conjunto de técnicas para a produção de objetos. Porém, no Serviço de Atenção e Referência em Álcool e Drogas (SARAD), essas quatro letras representam mais do que explicações teóricas: significam o recomeço na vida de muitas pessoas. Há cerca de dois anos, os pacientes da unidade vinculada ao Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB) participam, semanalmente, de oficinas artísticas voltadas à marcenaria, à pintura, à escrita e à confecção artesanal de enfeites e objetos de decoração. As oficinas são acompanhadas pelas Enfermeiras Mariana Vulcano Neres e Patrícia Cristina Oliveira de Moraes e pela Técnica de Enfermagem Margareth Mendes Dantas que, além de realizarem o que a pioneira da Enfermagem moderna Florence Nightingale aponta como “a mais bela das artes”, investem parte de sua rotina também para aperfeiçoar as habilidades dos pacientes, em prol da

Cabeça D'água mata mulher na Bocaina, em Botucatu

Cabeça D'água mata mulher na Bocaina, em Botucatu


Uma mulher de 40 anos, chamada Camila Vigliazzi Biancone, morreu após ser atingida por uma cabeça d’água, no Rio Bocaina. A ocorrência na zona rural de Botucatu foi atendida pelo Corpo de Bombeiros na noite de sexta-feira, 17.

Camila e o namorado de 45 anos, foram até o rio de moto e estavam embaixo de uma ponte quando foram surpreendidos pela forte correnteza e acabaram arrastados.

Uma mochila de hidratação, conhecida como Camelbak, salvou o namorado de Camila, que foi atendido pelo Samu e encaminhado ao Hospital das Clínicas sem ferimentos graves.

O corpo da vítima fatal foi encontrado preso na vegetação a dois quilômetros e meio do local onde o casal estava no momento em que foram atingidos pela forte correnteza, por volta das 19h30.

O fenômeno cabeça d’água é perigoso 


A cabeça d’água pode ser entendida como um fenômeno meteorológico causado pelo aumento rápido e repentino do nível de água em rios. 

Ela ocorre quando uma grande quantidade de chuva cai em partes superiores de uma cachoeira ou ao longo de um curso d’água. 

Com isso, os banhistas são surpreendidos pela força da água, que sobe rapidamente, e dificulta a saída do corpo hídrico. As cabeças d’água ocorrem principalmente no verão, quando as chuvas são mais fortes.

A cabeça d’água pode ocorrer em qualquer bacia de drenagem. Entretanto, vale ressaltar que ações humanas tendem a intensificar a grandeza desse fenômeno ou até mesmo fazê-lo aparecer em áreas que antes não existia, já que elas interferem na forma, volume e intensidade do escoamento das águas de um rio.

Comentários