Oficinas artísticas do SARAD contribuem para o recomeço de muitas vidas

Arte. Pequena palavra que pode ser entendida como uma habilidade dirigida para a execução de uma tarefa ou um conjunto de técnicas para a produção de objetos. Porém, no Serviço de Atenção e Referência em Álcool e Drogas (SARAD), essas quatro letras representam mais do que explicações teóricas: significam o recomeço na vida de muitas pessoas. Há cerca de dois anos, os pacientes da unidade vinculada ao Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB) participam, semanalmente, de oficinas artísticas voltadas à marcenaria, à pintura, à escrita e à confecção artesanal de enfeites e objetos de decoração. As oficinas são acompanhadas pelas Enfermeiras Mariana Vulcano Neres e Patrícia Cristina Oliveira de Moraes e pela Técnica de Enfermagem Margareth Mendes Dantas que, além de realizarem o que a pioneira da Enfermagem moderna Florence Nightingale aponta como “a mais bela das artes”, investem parte de sua rotina também para aperfeiçoar as habilidades dos pacientes, em prol da

Vigilância Ambiental em Saúde fechou o ano de 2021 com mais de 126 mil ações realizadas




A Vigilância Ambiental em Saúde de Botucatu fechou o ano de 2021 com 126.413 ações realizadas. Foram 115.970 visitas voltadas ao controle do mosquito Aedes aegypti e 10.443 atendimentos às demandas da população.

No que diz respeito a Dengue, os levantamentos entomológicos da VAS apontam que 80% dos criadouros deste inseto são recipientes existentes nas residências do Município. Neste período chuvoso, é necessário por parte da população total atenção e manutenção adequada de recipientes com água parada, pois quanto menor o índice de infestação do Aedes aegypti, menor a chance de circulação das arboviroses (dengue e Chikungunya).

Em 2021 foram confirmados 55 casos de dengue e 1 caso importado de Chikungunya em Botucatu.

Outro destaque do serviço da Vigilância foi o atendimento à solicitações de retirada de enxames de abelhas africanizadas e ninhos de vespas. Foram atendidas 629 solicitações de retirada de enxames de abelhas africanizadas e 823 para retirada de ninhos de vespas.

A Vigilância Ambiental em Saúde orienta que o manejo de enxames de abelhas africanizadas e vespas, jamais seja realizado por alguém que não tenha conhecimento técnico, pois o risco de ocorrer acidentes graves envolvendo pessoas e animais é grande.

Outro ponto de bastante atenção da VAS é o resgate de morcegos. Foram 728 solicitações atendidas. A orientação é para que a população, ao se deparar com um morcego caído ou pousado em local não habitual, não manuseie o animal e acione a equipe da Vigilância para realizar o resgate.

A Vigilância Ambiental em Saúde atua ainda na vacinação antirrábica de cães e gatos, controle de escorpiões através de busca ativa noturna, orientação educativa, orientação sobre guarda responsável de cães e gatos, resgate de mamíferos silvestres de pequeno porte como gambás, cuícas, primatas e ouriços, atendimento de problemas com animais peçonhentos e roedores, dentre outros. 

A Vigilância Ambiental em Saúde atende de segunda a sexta-feira das 7h30 às 17 horas pelo (14) 3811-1609 ou via Whats App no (14) 98177-1905. Após horário comercial, finais de semana e feriados, o plantão da VAS para captura de enxames de abelhas africanizadas e vespas, resgate de serpentes, morcegos e outros mamíferos silvestres de pequeno porte, deverá ser acionado através do 199 da Guarda Civil Municipal.

Comentários