Oficinas artísticas do SARAD contribuem para o recomeço de muitas vidas

Arte. Pequena palavra que pode ser entendida como uma habilidade dirigida para a execução de uma tarefa ou um conjunto de técnicas para a produção de objetos. Porém, no Serviço de Atenção e Referência em Álcool e Drogas (SARAD), essas quatro letras representam mais do que explicações teóricas: significam o recomeço na vida de muitas pessoas. Há cerca de dois anos, os pacientes da unidade vinculada ao Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB) participam, semanalmente, de oficinas artísticas voltadas à marcenaria, à pintura, à escrita e à confecção artesanal de enfeites e objetos de decoração. As oficinas são acompanhadas pelas Enfermeiras Mariana Vulcano Neres e Patrícia Cristina Oliveira de Moraes e pela Técnica de Enfermagem Margareth Mendes Dantas que, além de realizarem o que a pioneira da Enfermagem moderna Florence Nightingale aponta como “a mais bela das artes”, investem parte de sua rotina também para aperfeiçoar as habilidades dos pacientes, em prol da

Rapaz é morto por policial militar após agredir moradores e ameaçar crianças de morte em Agudos

Rapaz é morto por policial militar após agredir moradores e ameaçar crianças de morte em Agudos


Um rapaz de 19 anos foi morto por policiais militares após tentar golpear moradores com um pedaço de madeira e ameaçar matar crianças em Agudos (SP). O caso ocorreu na segunda-feira (10).

Segundo o boletim de ocorrência, os policiais militares receberam a denúncia para chamado de ocorrência de “surto psicótico” na rua Alcides Escada no município. No local, avistaram Arrisson Vitor Fontana com o pedaço de madeira.

As testemunhas, então, relataram que o jovem teria ido à casa de um vizinho dizendo que mataria o próprio sobrinho e que queria matar crianças. A irmã do rapaz, mão do sobrinho dele, também explicou que, no momento em que estava saindo de casa, Arrisson teria ameaçado o menino, de 3 anos, segundo o BO.

Em seguida, as testemunhas contam que Arrisson se dirigiu até outra casa, ao lado de um campo de futebol na av. Antonio Maria dos Santos Escada, onde adentrou no quintal e ameaçou a moradora de morte, assim como a seu filho, dizendo que era “Jesus”.

Ainda segundo o BO, logo após Arrisson foi à residência de outro morador que entrava com o carro pela garagem. No local, o rapaz quebrou o vidro traseiro do veículo com golpes e agrediu o residente com o facão na cabeça. Um segundo morador interveio e também teve o rosto ferido.

A mãe de Arrisson, junto a suas duas irmãs acionaram policiais militares e o corpo de bombeiros para tentar conter o rapaz, sem sucesso. Logo, Arrisson começou a golpear a viatura, danificando a lataria. O jovem também deferiu golpes no rosto de um dos policiais com o cabo de madeira.

Para afastar o homem, o policial atirou oito vezes. Um tiro atingiu um PM na perna esquerda que seguiu do local para atendimento com o Samu.

De acordo com os militares em apoio, Arrisson foi socorrido, continuava alterado e ainda teve que ser contido para que os atendentes pudessem colocá-lo na maca. Ele morreu na Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

O BO foi registrado como homicídio simples decorrente de intervenção policial.

Em nota emitida nesta quarta-feira (12), a assessoria de imprensa da PM explicou que foi instaurado inquérito policial militar e na polícia civil para “apuração das circunstâncias dos fatos”.

Ainda segundo a nota, os policiais militares presentes na ocorrência passarão por um acompanhamento e avaliação psicológica, o qual definirá seu estado psicológico.

Fonte: G1

Comentários