Polo Cuesta inicia construção de Planejamento Estratégico para o Turismo Regional

O Consórcio Polo Cuesta, em parceria com o Instituto Jatobás, deu início à construção de um Planejamento Estratégico para o turismo. Este documento irá auxiliar os municípios da região a compreender, estruturar e integrar ações para este setor nos próximos anos. O primeiro encontro foi realizado no último dia 25 de novembro, na Fazenda dos Bambus, em Pardinho, e contou com a presença de dirigentes municipais de turismo da região, que agrega nove cidades: Anhembi, Avaré, Bofete, Botucatu, Itatinga, Paranapanema, Pratânia, Pardinho e São Manuel. “Trata-se de uma iniciativa inédita para o consórcio, que em 2021 está completando 20 anos. Estamos em um momento de transformação. Precisamos planejar para executar com sucesso todos os nossos sonhos para este setor”, diz Thiago Henrique Donini, diretor executivo do Polo Cuesta. “Queremos nos estruturar, unir e organizar como progredir, olhar os futuros possíveis e construí-los, beneficiando a nossa região. Especialmente a economia local que o

Piloto de caminhão de Laranjal Paulista participa de filme sobre corrida da Netflix

Piloto de caminhão de Laranjal Paulista particpa de filme sobre corrida de caminhão da Netflix


O piloto de caminhão da Fórmula Truck de Laranjal Paulista, Djalma Pivetta, fará parte do filme “Sistema Bruto”, produzido pelo diretor Gui Pereira, da Dodô Filmes, com estreia prevista para início de 2022. 

“É tão emocionante sair de onde eu saí e ir para onde estou indo hoje. É muito forte, não esperava tudo isso”. diz o piloto 

“O Djalma vai aparecer como ele mesmo no filme. A história se passa em uma cidade fictícia do interior, onde vai acontecer uma competição chamada Copa Bruta, que terá a etapa das caminhonetes, onde a protagonista do filme (Bruna Viola) participará, e a etapa Truck, onde teremos a participação do Djalma. Na trama, o tio da Bruna, que será vivido pelo ator Jackson Antunes, é um caminhoneiro aposentado e amigo de profissão do Djalma. Vamos contar um pouco da história do Djalma através do personagem do Jackson”, contou o diretor.


A participação do piloto de Laranjal Paulista aconteceu por intermédio de Amanda Vieira, do programa do Ratinho. “Ela sabia que eu estava fazendo um filme sobre ‘automobilismo bruto’ e que eu desejava muito fazer um convite para o pessoal da Usual Racing, pois sou fã da equipe. Acredito que eles trazem o profissionalismo e a personalidade muito semelhante das equipes americanas da Nascar, e queria trazer essa qualidade pros cinemas. A Amanda tinha um amigo em comum com o pessoal da Usual e aí a ponte foi feita. Depois da primeira conversa pelo telefone, já tinha ficado claro que tivemos sintonia”, disse Pereira.




Além de Bruna Viola e Jackson Antunes, o elenco conta com outros artistas renomados, como Marisa Orth, Oscar Magrini, Nelson Freitas e Maurício Meirelles, além de participações de Chitãozinho e Xororó, Cesar Menotti & Fabiano e Rionegro e Solimões. O filme será gravado entre os dias 25 de novembro e 23 de dezembro nas cidades de Jaguariúna, Piracicaba, Tatuí e Sorocaba.

“O roteiro foi até um pouco mexido para eu me encaixar no filme. Não vi nada ainda, não sei como vai ser. Tudo que é novidade é mais gostoso. Corrida já está no roteiro, mas filme ainda não, é a primeira vez, então estou bastante ansioso”, revelou Djalma.

::::: Acidente aéreo de 1938 em Laranjal Paulista deixou São Paulo em luto :::::


Filho de caminhoneiro, Pivetta seguiu a profissão do pai transportando materiais de construção e, ao longo de sua carreira, abriu uma fábrica de brinquedos chamada Usual, em Laranjal Paulista, onde nasceu. Em 2018, com o apoio da Iveco e ajuda do sorocabano Átila Abreu sobre como iniciar no ramo da pilotagem, montou sua equipe, a Iveco Usual Racing. Depois de poucos anos, ele já conquistou vários pódios na carreira.

Além de ver Djalma Pivetta nas pistas da Copa Truck, será possível, também acompanhá-lo nas telas do cinema e, mais tarde, na plataforma de streaming Netflix. A previsão de lançamento é início de 2022. “É um bom roteiro, com censura livre, para a família mesmo. Acho que, neste momento de pandemia, ele (Gui Pereira) foi muito feliz com a escolha do roteiro e da história. Temos que valorizar o cinema brasileiro”, finalizou o piloto e astro de cinema.

De Marina Bufon
Edição Renato Fernandes

Comentários