Polo Cuesta inicia construção de Planejamento Estratégico para o Turismo Regional

O Consórcio Polo Cuesta, em parceria com o Instituto Jatobás, deu início à construção de um Planejamento Estratégico para o turismo. Este documento irá auxiliar os municípios da região a compreender, estruturar e integrar ações para este setor nos próximos anos. O primeiro encontro foi realizado no último dia 25 de novembro, na Fazenda dos Bambus, em Pardinho, e contou com a presença de dirigentes municipais de turismo da região, que agrega nove cidades: Anhembi, Avaré, Bofete, Botucatu, Itatinga, Paranapanema, Pratânia, Pardinho e São Manuel. “Trata-se de uma iniciativa inédita para o consórcio, que em 2021 está completando 20 anos. Estamos em um momento de transformação. Precisamos planejar para executar com sucesso todos os nossos sonhos para este setor”, diz Thiago Henrique Donini, diretor executivo do Polo Cuesta. “Queremos nos estruturar, unir e organizar como progredir, olhar os futuros possíveis e construí-los, beneficiando a nossa região. Especialmente a economia local que o

Hospital Estadual de Botucatu fez 200 cirurgias em 15 dias

Hospital Estadual de Botucatu fez 200 cirurgias em 15 dias



O Hospital Estadual de Botucatu realizou cerca de 200 cirurgias em apenas 15 dias, ou seja: a reabertura dos atendimentos já reflete números expressivos na retomada gradual do fluxo assistencial do Complexo do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB).

Desde o dia 3 de novembro, o HEBo reiniciou suas atividades assistenciais cirúrgicas, com a proposta de realizar  cirurgias eletivas que tiveram seu fluxo reduzido devido à  pandemia. Nestas duas primeiras semanas, foram agendados e realizados cerca de 200 procedimentos.

Cirurgias como fimose, hérnias, tonsila; entre outras, geralmente realizadas em crianças,  também tiveram seu fluxo reiniciado.  Nas cirurgias com necessidade de anestesia local, destacam-se os procedimentos para o tratamento de catarata e glaucoma.

Segundo a Diretora do HEBo, Dra. Silke Weber, estes primeiros procedimentos realizados  priorizaram pacientes que  aguardavam nas filas dos ambulatórios do HCFMB. “Iniciamos também a triagem para atender e preparar os pacientes dos municípios da DRS VI e do AME, o que otimiza a assistência regional”, diz.

Mesmo não atuando em sua plena capacidade, os atendimentos eletivos e ambulatoriais realizados pelo HEBo neste período já trazem muitos benefícios, não só aos pacientes, como também ao restabelecimento do fluxo assistencial do HCFMB.

“A reabertura do HEBo tem reduzido a espera dos pacientes, proporcionando tratamento de doenças, mesmo não consideradas graves, têm repercussões importantes na qualidade de vida de cada um. Além disso, o aumento de rotinas cirúrgicas reflete na ampliação de campo de aprendizado para alunos e residentes de todas as áreas da saúde”, finaliza Silke.

Sobre a reabertura do Hospital Estadual Botucatu


Com o apoio da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo (SES), da Prefeitura Municipal de Botucatu, da Unesp e demais autoridades políticas, o HEBo, que faz parte do Complexo do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB), iniciou no mês de novembro a reabertura gradual de seus atendimentos.

Nos últimos dois anos, o HCFMB tomou inúmeras medidas para o enfrentamento da COVID-19 em âmbito regional, entre elas, a utilização dos leitos do HEBo como retaguarda para pacientes clínicos ou covid negativos. O anúncio do Governo do Estado sobre o repasse de cerca de R$ 13 milhões até o final deste ano ao HCFMB permitiu que Hospital Estadual Botucatu iniciasse sua retomada assistencial de forma progressiva.

Comentários