Polo Cuesta inicia construção de Planejamento Estratégico para o Turismo Regional

O Consórcio Polo Cuesta, em parceria com o Instituto Jatobás, deu início à construção de um Planejamento Estratégico para o turismo. Este documento irá auxiliar os municípios da região a compreender, estruturar e integrar ações para este setor nos próximos anos. O primeiro encontro foi realizado no último dia 25 de novembro, na Fazenda dos Bambus, em Pardinho, e contou com a presença de dirigentes municipais de turismo da região, que agrega nove cidades: Anhembi, Avaré, Bofete, Botucatu, Itatinga, Paranapanema, Pratânia, Pardinho e São Manuel. “Trata-se de uma iniciativa inédita para o consórcio, que em 2021 está completando 20 anos. Estamos em um momento de transformação. Precisamos planejar para executar com sucesso todos os nossos sonhos para este setor”, diz Thiago Henrique Donini, diretor executivo do Polo Cuesta. “Queremos nos estruturar, unir e organizar como progredir, olhar os futuros possíveis e construí-los, beneficiando a nossa região. Especialmente a economia local que o

Projeto destina R$ 15 milhões para Justiça comprar imóveis em Botucatu

Projeto destina R$ 15 milhões para Justiça comprar imóveis em Botucatu


Um projeto de lei abriu um crédito especial de R$ 15 milhões que vai possibilitar à Polícia Federal de Botucatu a aquisição de dois prédios que são usados hoje pela Subseção Judiciária de Botucatu.  

O Projeto de Lei do Congresso Nacional (PLN) 24/21, do Poder Executivo, é na ordem de R$ 23,3 milhões e também beneficiará a Justiça Federal de Mogi das Cruzes, na compra de seu edifício sede.

Os recursos atenderão diretamente a Justiça Federal de Primeiro Grau em São Paulo que poderão investir na comprar dos edifícios-sede da Subseção Judiciária de ambas as cidades.

Vale lembrar que, a atual Subseção Judiciária de Botucatu está instalada em dois prédios cedidos (Av. Dr. Mario Rodrigues Torres, 77 e na rua Joaquim Lira Brandão, 181, ambos na Vila Assumpção), e por isso está compra não vai gerar redução de despesas, já o prédio em Mogi das Cruzes permitirá a economia no pagamento de R$ 800 mil por ano com aluguel.

Os recursos virão da anulação orçamentária de programa para gestão e manutenção do julgamento de causas na Justiça Federal.

Tramitação
O PLN será analisado pela Comissão Mista de Orçamento e depois pelo Plenário do Congresso (sessão conjunta de Câmara dos Deputados e Senado Federal)

Comentários