Polo Cuesta ampliará interesses em comum dos municípios

Consórcio Polo Cuesta, antes apenas dedicado ao Turismo, passará a ser multifinalitário e com foco ainda maior no desenvolvimento regional essa decisão foi tomada em assembleia realizada nesta sexta-feira (15), no auditório Cyro Pires da Prefeitura de Botucatu, quando membros aprovaram a mudança de finalidade do consórcio. Até então, o consórcio era unifinalitário, ou seja, atendia exclusivamente a um único interesse: no caso, o turístico. Com a mudança para consórcio multifinalitário, todos os municípios envolvidos poderão atuar juntos em diferentes áreas de interesse comum. “Acreditamos que essa mudança irá atender melhor aos interesses das cidades, ajudando as administrações municipais a tratarem de forma mais efetiva os desafios em comum de todos. Seja no meio ambiente, na saúde, na infraestrutura e outras áreas, nas quais serão criadas câmaras técnicas. Isso não quer dizer que o turismo será deixado de lado. Pelo contrário. Pensar o desenvolvimento regional fortalecerá ainda mais

Bateu no portão, ameaçou a mãe e foi capturado pela GCM de Botucatu

Bateu no portão, ameaçou a mãe e foi capturado pela GCM de Botucatu


Na manhã de ontem (07), a Guarda Civil Municipal capturou um rapaz de 39 anos, que ameaçava a própria mãe, batendo fortemente contra o portão da casa onde ela mora.

Testemunhas que passavam pelo local se sentiram incomodados com a situação e acionaram a Guarda Civil Municipal, pelo telefone de emergência 199, e uma equipe foi deslocada até o local para verificar a situação.

A equipe chegou ao local para atender uma desinteligência familiar no Bairro Jardim Pastor e sem perder tempo fez o rapaz encostar na parede para a revista pessoal, porém nada de ilegal foi enontrado com o rapaz.

Entretanto, a mãe explicou que essa situação de ameaça já havia se repetido e exatamente por essa razão tinha uma medida protetiva contra seu filho. A equipe da Guarda Municipal decidiu então verificar a situação do jovem via INFOSEG/SID (Sistema de informação das Forças de Segurança).

Foi então que ficou constatado que havia em seu desfavor um mandado expedido pela Juíza de Direito 2° Vara Criminal do Foro de Botucatu como Descumprimento de Medidas Protetivas de Urgência. Ou seja, o jovem não obedeceu a ordem judicial de manter uma distância de 500 metros da própria mãe.

Ao perceber que o rapaz era um meliante recorrente os patrulheiros decidiram conduzir tanto ele quanto a mãe, que nesse caso foi vítima, à Delegacia da Defesa da Mulher (DDM), onde a autoridade de polícia judiciária a Delegada Doutora Ana Paula Baston Theodoro Bengozi, ratificou a voz de prisão dada pela equipe.

O caso acabou na elaboração de um B.O (Boletim de Ocorrência) como Descumprimento de Medidas Protetivas de Urgência, e de acordo com o Art° 24-A da Lei Maria da Penha n° 13641/2018, a pena para casos como esse é de 3 meses à 2 anos de detenção. O indivíduo foi recolhido à cadeia pública de Itatinga, ficando a disposição da justiça.


Comentários