Mulher envia maconha e k4 para o irmão preso na Penitenciária de Avanhandava

Agentes da Penitenciária “Valdic Junio Alves Primo” de Avanhandava apreenderam, na manhã desta quarta-feira (26), drogas escondidas em fundo falso de um pote de margarina. A encomenda teria sido enviada à unidade pela irmã de um preso. Durante vistoria realizada na presença do destinatário, a equipe localizou duas porções de maconha, pesando cerca de 16 gramas no total, e 550 pedaços de papel contendo k4, a maconha sintética. CONFESSOU Questionado pelos servidores, o detento confirmou que havia encomendado os entorpecentes com a sua irmã, que é devidamente cadastrada no rol de visitas do estabelecimento penal. A direção da Penitenciária de Avanhandava registrou boletim de ocorrência e instaurou procedimento interno para apurar o caso.

Assaltantes de banco em Botucatu usaram munições do mesmo lote do assassinato de Marielle

Assaltantes do banco de Botucatu usaram munições do mesmo lote do assassinato de Marielle


Os assaltantes que tentaram roubar o Banco do Brasil em Botucatu em junho de 2020, usaram munições do mesmo lote utilizado no assassinato da vereadora carioca Marielle Franco.

Isso é o que aponta Laudos da Perícia Técnica apresentados com exclusividade pelo programa Domingo espetacular na noite de domingo (11). Segundo o programa as munições foram compradas com dinheiro público e desviadas dos arsenais do Exército, da Aeronáutica, da Polícia Federal e das Polícias Civil e Militar.
A matéria revela que essa constatação se deve à análise de mais de 100 munições de rifles e pistolas usadas no assalto.

De acordo com a reportagem a empresa CBC (Companhia Brasileira de Cartuchos), foi notificada para ajudar no rastreamento e constatou que um lote de munições comprados pela Polícia Federal de Brasília, mas entregue a um depósito no Rio de Janeiro.

O programa da Rede Record afirma que houve desvio dos arsenais do governo e esse armamento foi usado tanto no assassinato da vereadora quanto no assalto à Botucatu.

como foi o mega assalto


O assalto em Botucatu foi em julho do ano passado e durou cerca de três horas. Pelo menos 40 homens teriam participado da ação criminosa. Os bandidos fizeram moradores reféns e roubaram uma joalheria. A dona da loja acompanhou a ação dos criminosos ao vivo pelo celular.

A troca de tiros intensa foi ouvida de vários pontos da cidade e balas atingiram imóveis em uma das ruas usadas como rota de fuga do bando. Na tentativa de acalmar a população da cidade, um padre fez uma live durante os ataques e pediu proteção.

Dois policiais ficaram feridos durante o confronto na madrugada, mas receberam atendimento médico e passam bem. Imagens de circuito de segurança registraram o momento em que um deles foi atingido por tiros

Confira abaixo a reportagem completa do Domingo Espetacular

Comentários