Polícia Civil de Marília prende homem que comercializava drogas em condomínio

Policiais civis da Delegacia de Polícia de Investigações sobre Entorpecentes (Dise) de Marília, prenderam um rapaz, de 24 anos, por tráfico de entorpecentes, em um condomínio na zona rural da cidade, na manhã desta terça-feira (21).   Os agentes receberam a informação, de que um suspeito estava comercializando drogas nas dependências de um condomínio de prédios habitacionais, localizado na Rua Mário Bataiola.   Os agentes passaram a desenvolver as investigações e ficaram em vigilância velada, próximo ao local-alvo. Na sequência, avistaram o investigado em atitude suspeita e típica do tráfico de drogas e realizaram sua abordagem. Ele tentou fugir mais foi detido. Com ele, os agentes encontraram uma sacola que continha 93 porções de maconha, 52 pinos de cocaína, além de anotações de contabilidade do tráfico.   O homem foi autuado em flagrante por tráfico de drogas.

Veículos interceptados em Itatinga seriam vendidos criminosamente na Colômbia

Veículos interceptados em Itatinga seriam vendidos criminosamente na Colômbia


A equipe do (TOR) Tático Ostensivo Rodoviário evitou que dois veículos alugados irregularmente fossem repassados de maneira criminosa, na fronteira do Brasil com a Colômbia. A abordagem dos policiais ocorreu na madrugada desta quinta-feira, dia 03, na praça de pedágio de Itatinga, na Rodovia Castelo Branco.
 
Os policiais desconfiaram das informações desencontradas dadas pelos motoristas dos dois veículos, que segundo as autoridades perceberam algo errado quando perceberam que os veículos estavam trafegando como se fosse um comboio.

O primeiro motorista dirigia um GM/Tracker, e disse que alugou o carro e que pretendia ir até a cidade de Corumbá-MS para passar o final de semana prolongado. Ele também adiantou que o condutor do outro veículo, um MBenz/C180, era amigo e iria com ele para a mesma cidade.

Sobre o contrato de locação do automóvel o condutor apresentou uma foto do contrato, armazenada no aplicativo de conversas WhatsApp, porém o nome que constava no documento não batia com o nome apresentado pelo motorista e o mesmo não sabia informar o nome que estava escrito na imagem do contrato.

O motorista do outro carro disse outra história, ele relatou que iria até Presidente Prudente, para encontrar a namorada. Disse ainda que viajava sozinho, alegando que o carro havia sido alugado por seu sócio. Esse motorista apresentou o contrato de locação físico, porém também não conseguiu informar o nome que constava no contrato.

Esse motorista apresentou uma imagem de celular afirmando que essa imagem tratava-se de sua CNH digital, porém não a localizou no aplicativo do DETRAN. 

Os policiais foram em busca de confirmar os dados passados pelo motorista e porém o abordado não sabia nem ao menos informar seu RG ou a data de nascimento.
 
Percebendo que a casa havia caído e que o golpe foi descoberto, o condutor acabou confessando seu nome verdadeiro, dizendo ainda que a CNH digital que ele apresentou era de seu irmão.

De imediato a equipe TOR percebeu que “modus operandi” era similar ao crime de Apropriação Indébita, ou seja a vítima é a empresa locadora dos automóveis, que não receberia os veículos de volta, já que esses carros 
seriam trocados ou vendidos de forma criminosa em Corumbá-MS, fronteira entre Brasil e Bolívia, destino real da dupla de motoristas.

A equipe conseguiu descobrir que os veículos seriam vendidos na Colômbia por R$ 1.000,00 cada. 

A ocorrência foi levada à Delegacia de Polícia Civil de Plantão onde foi elaborado Boletim de Ocorrência de apreensão dos automóveis. Os veículos e outros dois aparelhos de telefones celulares foram apreendidos para investigação policial.



Comentários