Pinacoteca recebe exposição “Em Volta do Tempo”, de Renata Egreja, em outubro

As telas da artista plástica paulista Renata Egreja serão a atração da programação da Pinacoteca “Fórum das Artes”, de Botucatu, a partir do dia 10 de outubro. A exposição “Em volta do tempo”, é resultado do Prêmio de Artes Visuais do ProAC LAB 2020, incentivado pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e Ministério da Cultura do Governo Federal.  Na cidade de Botucatu ela recebe o apoio das secretarias de Cultura e Educação, em parceria com o Museu Botucatu. A mostra mescla trabalhos inéditos de Egreja, apresentando 5 telas grandes sobre tela e 10 aquarelas, além da instalação imersiva “Mesa Posta” (2021), que convida o espectador a mergulhar na obra e observá-la desta perspectiva, com cores e formas sugerindo sons e movimento, propondo um estado de encantamento. A exposição, que ocupará duas salas e o átrio da Pinacoteca, faz parte de um projeto que remete a experiência de retorno à terra natal. Lugar em que a artista cresceu e agora regressa com um olhar

Sob o olhar azul #91/21

Sob o olhar azul #91/21

Sábado de faxina, treino de natação e, depois, almoço, drink e descanso.

O domingo foi muito booooommmm!

Almoço com a mamãe, irmão e sobrinho.

Adoroooo estarmos juntos!

Falei com meus filhos e me senti muito acarinhada.

Encontro com Fer e Nilson, no Piritas.

Marinilce Peres passou por lá e é sempre uma alegria encontrá-la.

Dormi feliz.

Acordei animada e faminta.

Pizza de frigideira e café, rotinas e banho.

Dia de ir pro centro: cartório, porta retratos, bater perna e almoçar com o Fer.

Paguei a conta de luz de março em dobro.

Não fui ressarcida.

Hoje terei que pagar duas, e o robô do 0800 não sabe me dizer quando terei o dinheiro do meu erro de volta.

Preferia conta em papel, aliás ninguém me perguntou se queria essa mudança.

U ó.

Só ontem soube da morte dodo cantor Cassiano.

De Primavera a Coleção, suas canções embalaram amores e muitas emoções no meu vou viver.

Cassiano pra sempre no meu coração.

Coleção, Cassiano.

"Sei que você gosta de brincar de amores

Mas ó, comigo não .."

Até casei!

Trilha sonora de um grande amor, junto com Retratos e Canções, com a Sandra de Sá.

O casamento acabou, mas guardei o que ficou: as boas lembranças, as boas emoções e o melhor de tudo, meus filhos amados.

Algumas horas depois, tudo que eu precisava já resolvido; tudo que o Fer precisava, resolvido.

O prazer de fazer o que se propõe, ahhhhhhh....


Hoje é aniversário da minha prima amada Adriana Delmanto.

Querida das boas palavras, muito parceira da mãe e da irmã, pessoa de coração imenso de quem sou muito fã.

Meus desejos de tudotudotudo de divino e maravilhoso no seu caminhar!

Beijão, amor e presente musical....

Here comes the sun, The Beatles.



Também é aniversário da dona Helena.

Mãe da minha cunhada Mariliza, é uma fofinha que sempre cai na risada quando me vê.

Heleninha do meu coração, muitas bençãos pra senhora!


Almoçar com o Fer é um escândalo.

Lasanha verde com gorgonzola e molho funghi.

Lasanha branca com presunto e molho quatro queijos.

Saí do ap troncha de tanto que comi.

Delícias da Amando Massas!


Volto pra casa gostosa da vida.

Fomos muito bem atendidos em todos os lugares que passamos.

Encontramos pessoas gentis, de bem com a vida e satisfeitas por terem trabalho digno.

E isso fortalece, aquece e faz voltar.

Parabéns pras meninas do cartório, da quality copy, da requinte, da botupapel.

Sucesso!

Em casa.

Tudo bem tudo bom.

O céu nublou e eu estou preguiçosa e de barriga cheia.

Parece que a vacinação em massa será mesmo no domingo. Bora trabalhar.

Poemar com Hilda Hilst, que fazia muito tempo que não lia e que conheci enquanto trabalhava com Francisco Marins, que com ela trocava correspondência.

"Testamento lírico

Se quiserem saber se pedi muito

Ou se nada pedi, nesta minha vida,

Saiba, senhor, que sempre me perdi

Na criança que fui, tão confundida.

À noite ouvia vozes e regressos.

A noite me falava sempre sempre

Do possível de fábulas. De fadas.

O mundo na varanda. Céu aberto.

Castanheiras douradas. Meu espanto

Diante das muitas falas, das risadas.

Eu era uma criança delirante.

Nem soube defender-me das palavras.

Nem soube dizer das aflições, da mágoa

De não saber dizer coisas amantes.

O que vivia em mim, sempre calava.

E não sou mais que a infância. Nem pretendo

Ser outra, comedida. Ah, se soubésseis!

Ter escolhido um mundo, este em que vivo,

Ter rituais e gestos e lembranças.

Viver secretamente. Em sigilo

Permanecer aquela, esquiva e dócil.

Querer deixar um testamento lírico

E escutar (apesar) entre as paredes

Um ruído inquietante de sorrisos

Uma boca de plumas, murmurante.

Nem sempre há de falar-vos um poeta.

E ainda que minha voz não seja ouvida

Um dentre vós, resguardará (por certo)

A criança que foi. Tão confundida."

https://youtu.be/_T_U_v8fV4M

Onda 12", Cassiano.

" Onda, foi somente onda..."

Soul music brasileira.

Ouvir o repertório do Cassiano foi muito bacana.

Como escrevi antes, suas músicas são trilhas pessoais.

Só não me lembrava do quanto!

Tem sabor de verão e calor de abraços, a emoção de beijos e o silêncio das lágrimas de alegrias e saudades.

Essa vida conquistada me permite usar o tempo pra ficar quieta e interiorizar.

Um exercício íntimo muito especial, sempre buscando a importância real dos acontecimentos passados.

Nada de pesos e pesares.

Certeza mesmo só do que não quero.


Para reflexão.

"Tudo que a memória ama fica eterno."

Adélia Prado.

Resisto feliz por resistir.

Seguimos.
............................

Texto: Andrea Morato

Página da autora Sob o Olhar Azul

Comentários