Mulher envia maconha e k4 para o irmão preso na Penitenciária de Avanhandava

Agentes da Penitenciária “Valdic Junio Alves Primo” de Avanhandava apreenderam, na manhã desta quarta-feira (26), drogas escondidas em fundo falso de um pote de margarina. A encomenda teria sido enviada à unidade pela irmã de um preso. Durante vistoria realizada na presença do destinatário, a equipe localizou duas porções de maconha, pesando cerca de 16 gramas no total, e 550 pedaços de papel contendo k4, a maconha sintética. CONFESSOU Questionado pelos servidores, o detento confirmou que havia encomendado os entorpecentes com a sua irmã, que é devidamente cadastrada no rol de visitas do estabelecimento penal. A direção da Penitenciária de Avanhandava registrou boletim de ocorrência e instaurou procedimento interno para apurar o caso.

Caso Nilcéia: Assassino usou redes sociais, pediu dinheiro e disse que ela estava com Covid

Cas Nilcéia: Assassino usou redes sociais, pediu dinheiro e disse que ela estava com Covid

 
O chapeiro, Sílvio Adão, de 38 anos, confessou ter assassinado a garçonete Nilcéia Ferreira, e de acordo com o Delegado Deccional Lourenço Talamonte ele utilizou as redes sociais da vítima para dizer que ela estava internada com Covid e ainda pedir dinheiro emprestado para seu chefe.


O delegado deu detalhes sobre o caso em entrevista na Rádio Municipalista, de Botucatu, e relatou que o assassino confesso se apresentou a ela com o nome falso de Silvio Petkovis, explicando que o encontro mortal não havia sido o único, eles já teriam se visto anteriormente em outras circunstâncias.

Além disso, a autoridade policial relatou que provavelmente o crime tenha ocorrido na data em que foi registrado o desaparecimento de Nilcéia pelos seus familiares, 9 de maio (Dia das Mães), considerando o estado em que o corpo foi encontrado.

Óculos do criminoso foi encontrado no local do crime
O Óculos do criminoso foi encontrado no local do crime

sdsd
Outro ponto que aponta a data aproximada da morte é o compartilhamento de mensagens nas redes sociais, dizendo que a vítima estava internada com Covid-19. Essa desculpa também foi usada pelo criminoso em ligações via whatsapp, onde Adão, justificava o desaparecimento da mulher afirmando que ela estava incomunicável, internada em um Hospital de Ourinhos.

Foi também através de redes sociais que Adão pediu dinheiro para o patrão da vítima, onde conseguiu angariar algo em torno de R$ 200.

Buscas pelo corpo de Nilcéia adentrou a noite

Buscas pelo corpo de Nilcéia adentrou a noite
Delegado Celso Olindo (direita) no local onde o corpo foi encontrado em Itatinga


O seccional explicou na entrevista à emissora de rádio, que as buscas pelo corpo, e provas do crime se estenderam durante a noite de 20 de maio e que sua localização exata foi há 3 quilômetros da cidade de Itatinga, em uma chácara onde o criminoso já havia trabalhado anteriormente.

O corpo de Nilcéia estava há aproximadamente 800 metros dentro de uma plantação de eucaliptos, sendo que o próprio autor do homicídio levou os investigadores da Polícia Civil até o local.

De acordo com informações de Talamonte, o criminoso estava preso por conta da falta de pagamento de pensão alimentícia desde a semana passada, e que uma averiguação à ficha criminal de Adão, aponta que ele já esteve envolvido em outros casos de violência doméstica.

Outro ponto esclarecido pelo delegado é a motivação do crime. Ele relata à rádio que o criminoso estava com ciúmes da vítima, suspeitando de uma traição e que conseguiu convencer a garçonete a ir até o local onde passou a questionar sobre o suposto relacionamento dela com outra pessoa.

Adão relatou à polícia, que enquanto questionava sobre isso Nilcéia sacou um canivete e passou a ameaçá-lo, foi quando ele tomou a arma da vítima e se defendeu, sufocando a garçonete e aplicando os golpes que vmataram Nilcéia.

Adão é natural do Estado do Paraná e residia em Itatinga onde trabalhava como chapeiro.  O corpo de Nilcéia foi encontrado na noite de 20 de maio,  coberto por folhas e galhos.





Comentários