Polo Cuesta ampliará interesses em comum dos municípios

Consórcio Polo Cuesta, antes apenas dedicado ao Turismo, passará a ser multifinalitário e com foco ainda maior no desenvolvimento regional essa decisão foi tomada em assembleia realizada nesta sexta-feira (15), no auditório Cyro Pires da Prefeitura de Botucatu, quando membros aprovaram a mudança de finalidade do consórcio. Até então, o consórcio era unifinalitário, ou seja, atendia exclusivamente a um único interesse: no caso, o turístico. Com a mudança para consórcio multifinalitário, todos os municípios envolvidos poderão atuar juntos em diferentes áreas de interesse comum. “Acreditamos que essa mudança irá atender melhor aos interesses das cidades, ajudando as administrações municipais a tratarem de forma mais efetiva os desafios em comum de todos. Seja no meio ambiente, na saúde, na infraestrutura e outras áreas, nas quais serão criadas câmaras técnicas. Isso não quer dizer que o turismo será deixado de lado. Pelo contrário. Pensar o desenvolvimento regional fortalecerá ainda mais

Cabelos Dreadlocks uma história de religiosidade, luta e o infeliz modismo



Alguns historiadores garantem que a raiz da palavra "Dreadlocks" tem muito pouco a ver com religiosidade ou simplesmente um modismo referente a penteados, Na verdade o termo tem relação com o movimento de guerreiros que juraram não cortar seu cabelo até que Haile Selassie, o imperador da Etiópia, fosse libertado do exílio por conduzir a resistência contra a invasão italiana.


Acontece que o cabelo desses guerreiros se enredou e fechou com o tempo. Como os guerreiros com os cabelos emaranhados foram "Temidos" (Dreaded em inglês),o termo "Dreadlocks" acabou se popularizando.

O  estilo dreadlocks não surgiu como modismo, ou um simples penteado e vai muito além disso. Mas carrega até hoje um significado implícito de luta constante.

Porém não temos como negar que Dreadlock ou lock-dread, rasta (em Portugal) ou simplesmete dread, é um penteado na forma de mechas emaranhadas, ou uma forma de se manter os cabelos que se tornou famosa devido ao movimento  Rastafari.

Alguns grupos de estudiosos, porém ignoram o espírito de luta constante e afirmam que os primeiros registros do termo "dread" são da época da escravidão, explicando que durante a travessia para outro continente, as pessoas eram mantidas presas uma nas outras, sem espaço para higiene pessoal e de organização no que diz respeito ao cabelo


No desembarque os fios estavam embaraçados e crescidos em tufos e devido essa aparência, foram chamados pelos moradores da América do Norte com o termo "dreadful" (tradução terrível ou monstruoso). Termo que foi encurtado décadas depois para perder o tom pejorativo.

É importante, como já dissemos anteriormente, ressaltar que dreadlock tornou-se famoso pelo movimento rastafari. Onde, por motivos religiosos, baseando-se em citações do Velho Testamento da Bíblia, , seus seguidores não cortam e não penteiam os cabelos.

Porém vale esclarecer que o uso desse tipo de cabelo é tão antigo que não é possível determinar corretamente quando começaram a ser utilizados.

Vale esclarecer que os cabelos humanos ficam emaranhados quando não são cortados ou penteados, é bem possível que os homens pré-históricos tivessem cabelos semelhantes ao dreadlock atuais, o que se aplica a muitos povos antigos.

Tribos antigas da Índia e da África usavam o dreadlock ou a trança, devido aos costume locaos pois havia a  dificuldade de manter os fios no lugar e, para representar a ligação espiritual dos homens santos.

Na história, porém, esse estilo de cabelo também foi encontrado em múmias do Peru, datadas de 200 a 800 d.C., e de sacerdotes astecas, dos séculos XIV e XV, que atestam o uso dos cabelos em mechas emaranhadas.

Na maioria das vezes os dreadlocks é considerado um símbolo de devoção religiosa, o que ocorre principalmente na Etiópia sacerdote cristã copta; Na Índia seguidores da seita hindú sadhu, em homenagem à divindade Shiva; No Japão seguidores da filosofia rasta-budista; No Senegal seguidores da seita muçulmana Baye Fall; Na Nova Zelândia os maori; em tribos na Namíbia e Angola; Na filosofia Ascetismo, em não alterar a criação de Deus.

Esse estilo saiu do preconceito e hoje é considerado tendência, e isso ocorre, talvez por fugir drasticamente dos padrões ocidentais de beleza, no entanto não podemos negar que o usuário de dread pode ser vítima de preconceito, a ponto de ter problemas para conseguir emprego, sobretudo quando a atividade exige contato com um público mais conservador.

Esse tipo de público careta associa o estilo ao puro desleixo. Por outro lado, o uso de dreads é muito bem aceito em ambientes alternativos ou ligados à contracultura e encontrou diversas versões, com cabelos naturais ou fios sintéticos, Infelizmente o estilo acabou apropriado e incorporado pela indústria da moda.

-----------------------------------

Por Renato Fernandes Jornalista com ampla experiência, antes de ingressar na redação do Segue Rumo passou por importantes meios de comunicação da cidade onde reside (Botucatu), como Diário da Serra (20 anos), folha Serrana, Folha Regional, Revista O Lojista, blog O Grito Notícias, Solutudo. Experiente no jornalismo web e formado em Análise em Mídias Digitais e ampla experiência em SEO atuando ainda na redação, edição, revisão de textos, e produção de conteúdo para o Youtube


Comentários