Mulheres indígenas chegam na reta final da caminhada de 2.000 km pela Argentina

Mulheres indígenas chegam na reta final da caminhada de 2.000 km pela Argentina, isso é importante pois grupos de mulheres indígenas do país empreendem uma caminhada desde o dia 14 de março em direção à cidade de Buenos Aires. Elas chegarão no dia 22 de maio na capital federal, dia da plurinacionalidade dos territórios. Para o bloco sul, a caminhada total será de cerca de 1.900km, e, para o bloco norte, 1.200km, segundo estimativas recentes das ativistas. Também partiram grupos do leste e oeste do país, reunindo mulheres de diferentes nações indígenas. "Caminhamos para propor que o terricídio seja considerado um crime de lesa humanidade e lesa natureza", afirmam, em comunicado. "Sabemos que não é o melhor momento para sair dos territórios. No entanto, se ficamos em casa, continuam nos matando." O conceito de terricídio foi criado pelo movimento de mulheres indígenas para englobar as diversas formas de assassinato das formas de vida. Trata-se de feminicídio, ecocídio

Não piso em ovos


 

Não piso em ovos.

Não temo o amanhã, não lamento o ontem.

Vivo a projeção de tempo e espaço da criação humana. 

Tempo é algo que não existe.

O que temos não possuímos, é tudo projeção do que foi o agora  e que a um segundo deixou de ser para transformar em algo novo.

Novo e passageiro onde, o hoje foi. O ontem será e o agora é o que importa.

Não desperdiçamos o que não temos, não investimos o que projetamos, pois não se trabalha com incertezas. Nossas únicas posses.

Comentários