Traficantes são presos no Santa Elisa no portão da boca de fumo

Uma dupla de traficantes foi presa na noite de ontem, no portão da boca de fumo do Santa Elisa, com maconha, crack, cocaína e dinheiro. A captura dos marginais foi feita por Policiais da Força Tática da Polícia Militar, que avistaram os dois suspeitos ao longe e perceberam que um deles ao avistar a viatura correu para o fundo do imóvel. Enquanto um dos policiais abordava um dos indivíduos no portão, o outro agente da lei conseguiu identificar que o segundo suspeito jogou uma sacola no próprio quintal. Ao verificar o que havia na sacola, os policiais não ficaram surpresos ao constatar que trata-se de 66 porções de crack prontas para a venda. Na busca pessoal os agentes encontraram com um dos traficantes mais 5 porções de crack, 3 porções de maconha, uma porção de cocaína, além de R$ 222 em dinheiro.  A dupla recebeu voz de prisão e foram conduzidos ao Plantão Policial onde foi confeccionado um Boletim de Ocorrência (B.O)  como tráfico de drogas. A dupla agora está presa à disposição

Botucatu recebe "À Beira do Abismo me cresceram Asas"


A peça teatral “À Beira do Abismo me Cresceram Asas”, com dramaturgia, direção e interpretação de Maitê Proença, chega à Botucatu, em maio. confira os detalhes

Informações da apresentação

Dia - 19/05/2019 (Domingo)
Horário - 19:30 h
Gênero - Comédia dramática
Local Botucatu - Teatro Municipal Camillo Fernandez Dinucci - Praça Coronel Moura , 27
Ingressos - Venda online no site MegaBilheteria e na bilheteria do teatro

Espetáculo repleto de poesia, emoção e bom humor


A peça teatral “À Beira do Abismo me Cresceram Asas”, com dramaturgia, direção e interpretação de Maitê Proença, tem um texto poético, repleto de emoção e bom humor.

A montagem certamente leva o público às gargalhadas com os diálogos entre Terezinha (Maitê Proença) e Valdina (Clarisse Derzié Luz).

Sem as máscaras habituais da juventude, sem qualquer cerimônia, as personagens falam sobre qualquer assunto – sexo, diferenças entre homens e mulheres, abandono, e mostra ao mesmo tempo o lado bom e o ruim de cada situação.

Embora diferentes na personalidade, Terezinha (86) e Valdina (80) têm em comum a praticidade dos que aprenderam a simplificar a vida. Portanto sabem que já não há tempo para complicá-la.

Valdina leva o dia a dia com otimismo, sem nostalgias. Porém não se engane, ela carrega um grande segredo. Paralelamente, Terezinha é de temperamento carrancudo, ainda que bem resolvido.

Sem dúvida Maitê Proença criou o texto que faz refletir sobre o tempo, as emoções da vida, a solidariedade e a importância de compartilhar, em um misto de humor e delicadez.

Informações dos sites MegaBilheteria e Teatros Art Br











Comentários