Mulheres indígenas chegam na reta final da caminhada de 2.000 km pela Argentina

Mulheres indígenas chegam na reta final da caminhada de 2.000 km pela Argentina, isso é importante pois grupos de mulheres indígenas do país empreendem uma caminhada desde o dia 14 de março em direção à cidade de Buenos Aires. Elas chegarão no dia 22 de maio na capital federal, dia da plurinacionalidade dos territórios. Para o bloco sul, a caminhada total será de cerca de 1.900km, e, para o bloco norte, 1.200km, segundo estimativas recentes das ativistas. Também partiram grupos do leste e oeste do país, reunindo mulheres de diferentes nações indígenas. "Caminhamos para propor que o terricídio seja considerado um crime de lesa humanidade e lesa natureza", afirmam, em comunicado. "Sabemos que não é o melhor momento para sair dos territórios. No entanto, se ficamos em casa, continuam nos matando." O conceito de terricídio foi criado pelo movimento de mulheres indígenas para englobar as diversas formas de assassinato das formas de vida. Trata-se de feminicídio, ecocídio

Fuga na poeira

Quando te procuro geralmente estou em fuga Talvez o caminho de poeira que deixo afaste suas pegadas Sinto-me mais distante Presença ou ausência fazem parte da relatividade de nossa essência Cobramos o que já temos das pessoas que esquecemos A vida segue: Atrelada ao tempo; não tem padrão reto, curvo ou retorcido É nossa existência. Com hora marcada!



Na incerteza egoísta e centrada em nós mesmo.
 

Mesmo rodeados estamos sozinhos  


Solidão é estar repleto de ideias, mas oco de afeto. 


Caminharei mais leve, talvez assim levante menos poeira 


Quem sabe dessa forma possa encontrar seus passos 


Ou abra oportunidade para encontrar o meu caminho. 


Em sua existência. 


Sem controle, 


Correndo no emaranhado indecifrável 


Caindo em precipícios existenciais 

Se encontrando 



Se perdendo Vivendo!

Na noite de nossa essência 


Esperando o amanhecer

Comentários