Mulher envia maconha e k4 para o irmão preso na Penitenciária de Avanhandava

Agentes da Penitenciária “Valdic Junio Alves Primo” de Avanhandava apreenderam, na manhã desta quarta-feira (26), drogas escondidas em fundo falso de um pote de margarina. A encomenda teria sido enviada à unidade pela irmã de um preso. Durante vistoria realizada na presença do destinatário, a equipe localizou duas porções de maconha, pesando cerca de 16 gramas no total, e 550 pedaços de papel contendo k4, a maconha sintética. CONFESSOU Questionado pelos servidores, o detento confirmou que havia encomendado os entorpecentes com a sua irmã, que é devidamente cadastrada no rol de visitas do estabelecimento penal. A direção da Penitenciária de Avanhandava registrou boletim de ocorrência e instaurou procedimento interno para apurar o caso.

O necessário é pouco

Não se iluda o necessário sempre será pouco, almejamos o extraordinário, mesmo que nosso consciente afirme o contrário.
Contentamento é o que nos aproxima do fim, extermina sonhos e nos coloca na condição passiva de observadores do que nos rodeia.

Isso não significa que o simples não seja o extraordinário, afinal de contas esse termo é um tanto quanto relativo.

Viajei o brasil apenas com o que me era relativamente necessário em minha juventude, uma bolsa, um mapa e muito artesanato para vender ou simplesmente trocar pelas minhas necessidades diárias.

Conheci pessoas que tinham como necessário um carro, uma boa casa, uma bela conexão com a internet e muitas mulheres; outros estavam satisfeitos apenas pela presença de seu cão de estimação. Ambos tinham, relativamente e basicamente, as mesmas dificuldade em manter suas necessidade.



Cada ponto de vista deve ser analisado de um ponto e a conclusão que eu tive é que as necessidade te privam da liberdade real. O apego à realidade e ao que temos como valor necessário para a subexistência é o que nos move pelo mundo, mantêm as engrenagens sociais em funcionamento. Mas a busca pelo extraordinário é o que nos torna maiores, nos transforma em sonhadores.

O importante não são nossas necessidades, mas sim o por que se fazem importantes: Ego, posição, social, dinheiro, liberdade, prestígio, ou  simplesmente um saco de ração e uma marmita, cada um tem o que o motiva. Podemos fazer uma listagem enorme daquilo que nos faz seguir em frente.

Me atrevo a dizer que o necessário é sonhar. Manter acesso o descontentamento, é isso que nos faz seguir em frente. Considerar o necessário como algo material é minimizar a importância de nossos objetivos, reduzir nossas metas apenas ao palpável e fácil.

Não, eu não quero apenas o necessário, pretendo conquistar o extraordinário, voar pelas estrelas, abraçar o sol, pegar carona em um cometa, andar descalço no chão de terra, mergulhar em águas profundas para conhecer criaturas abissais, circular entre leões e brincar com golfinhos.

Meu necessário não é palpável materialmente, mas é o que alimenta meus sonhos e que me impulsiona rumo ao extraordinário.....

Renato Fernandes




Comentários